Telefone
São Paulo (11) 3191-5000

A OMA na mídia

Controle Hidraulico

Evitar desperdício de água faz parte da gestão ambiental. Por isso, é tão importante manter uma inspeção hidráulica constante no condomínio.

O relógio que controla o consumo deve ser verificado todos os dias para detectar qualquer alteração. Também devem ser observados e corrigidos de imediato quaisquer problemas de vazamentos, seja no interior das unidades ou nas áreas comuns. A instalação de hidrômetros nas unidades também é uma forma de controlar e detectar eventuais desperdícios de água. Veja:

8 dicas para evitar vazamento de água no condomínio

1.
Investir em tecnologia para combater o desperdício pode ser a grande saída para prevenir vazamentos na rede hidráulica do condomínio.

Mostre para os condôminos que algumas iniciativas, como estas abaixo, trazem benefícios econômicos:

Prefira os equipamentos economizadores que existem no mercado para serem colocados nos pontos de consumo das unidades e das áreas comuns;
Realize sempre diagnósticos das instalações, principalmente se o seu condomínio for mais antigo;
As descargas dos vasos sanitários, ao lado dos chuveiros, são os campeões em gastanças desnecessárias. Se o seu condomínio tiver mais de 13 anos, provavelmente apresenta consumo superior a 6 litros por acionamento, podendo chegar a 15;
Substitua os sistemas de descarga e as bacias por caixas acopladas com duplo acionamento, de 3 e 6 litros, para dejetos líquidos e sólidos. Com a modernização, a queda no consumo pode chegar a 50%;
Programe a leitura diária dos hidrômetros para identificar eventuais vazamentos e promova mudanças nos hábitos de consumo.

2. As infiltrações também precisam ser 100% resolvidas para não haver prejuízo em cima de prejuízo.

A maioria dos vazamentos que causa essas infiltrações é ocasionada pelas tubulações antigas, que eram feitas de ferro. Elas se deterioram e, com o tempo, se rompem.

3. Cuidado, também, com as perfurações acidentais das paredes.

Estas podem ocorrer, por exemplo, durante uma simples instalação de armários. A água escorre pela tubulação e penetra na alvenaria, podendo afetar diversas unidades.

4. Fique de olho nas torneiras e registros.

Estes podem causar vazamentos dado o seu uso contínuo e ausência de manutenção.

5. Promova vistorias frequentes nas instalações das áreas comuns.

6. Avalie por meio da contratação de uma empresa especializada se não é o momento de:

Reformar completamente o barrilete;
Substituir a tubulação de água fria em ferro fundido por cobre;
Canalizar e pressurizar para o térreo a água das nascentes que vertem no subsolo, para regar os jardins e lavar os pisos;
Mudar o sistema de circulação da água quente central, evitando assim perda de calor;
Trocar todas as prumadas de água por cobre;
Impermeabilizar os reservatórios, contratando uma empresa especializada em impermeabilização e que ofereça a maior garantia e segurança.

7. Mantenha sempre em dia os procedimentos essenciais de manutenção, para garantir o pleno funcionamento das instalações:

Limpe e desinfete as caixas d’água a cada seis meses ou quando forem detectados corpos estranhos ou qualquer alteração no aspecto da água;
Limpe as válvulas reguladoras de pressão anualmente;
Substitua os componentes internos das válvulas reguladoras de pressão a cada três anos, seguindo as orientações do fabricante;
Substitua as canalizações de ferro, que oxidam, por tubulações de cobre;
Observe as alterações de ruído e vibrações que podem indicar problemas com rolamentos;
Revise regularmente as bombas do poço de escorva, que captam as águas pluviais no último subsolo. Esses poços precisam ser limpos sempre que apresentarem sinais de acúmulo de sujidades internas.

8. Conheça e ponha em prática as principais normas da ABNT relacionadas aos sistemas hidráulicos dos condomínios.

A maioria delas fala sobre a inspeção e manutenção periódicas dos componentes dos sistemas hidráulicos prediais. Anote quais você deve conhecer:

NBR 5626:1998 – “Instalação predial de água fria”;
NBR 7198:1993 – “Projeto e execução de instalações prediais de água quente”;
NBR 8160:1999 – “Sistemas prediais de esgoto sanitário – projeto e execução”;
NBR 15527:2007 – “Aproveitamento de água de chuva de coberturas em áreas urbanas para fins não potáveis”;
NBR 15575:2013 – “Edificações habitacionais – Desempenho”;
NBR 5674:2012 – “Manutenção de edificações – Requisitos para o sistema de gestão de manutenção”;
NBR 14037:2011 – “Diretrizes para elaboração de manuais de uso, operação e manutenção das edificações – Requisitos para elaboração e apresentação dos conteúdos”.

Agora que você já sabe como evitar vazamento de água no condomínio, providencie os reparos necessários.

Fonte: www.fibersals.com.br

Compartilhar