Telefone
São Paulo (11) 3191-5000
Ribeirão Preto (16) 3441-1189

A OMA na mídia

Mercado voltado para quem mora sozinho é forte e crescente

Público é formado principalmente por idosos, divorciados e jovens em busca de independência

Não é de hoje que o número de clientes solteiros atrás de imóvel vem crescendo. O fenômeno já aparece em pesquisas e se mostra cada vez mais consistente em meio ao mercado imobiliário. São idosos longevos, homens e mulheres separados, estudantes e demais jovens que dão os primeiros passos de independência dos pais. 

“É um mercado crescente e forte”, diz o vice-presidente de imobiliário do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), Odair Senra.

Pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entre 2005 e 2015, mostra que saltou de 6 milhões para 10,4 milhões o total de pessoas que vivem sozinhas.

No estudo, muito desse aumento se explica pelo envelhecimento da população, mas também aparecem outros perfis que movimentam o mercado e são alvos das imobiliárias. 

“Sentimos que cresceu o número de pessoas sozinhas procurando imóveis. Geralmente são estudantes ou pessoas que se separaram”, diz Adriana Martins, que trabalha na administração da imobiliária Mendes Ortega, em Sorocaba (SP). De acordo com ela, o índice de solteiros que buscam uma residência já se assemelha ao daqueles que são casados e têm família.
Mercado responde
Com base nesse perfil emergente, e com o objetivo de melhor atendê-lo, as construtoras foram atrás para saber as necessidades desse público e o que tem procurado. Segundo o vice-presidente de imobiliário do SindusCon-SP, o que esses compradores desejam é um modelo semelhante ao antigos flats e que voltou a ganhar espaço no segmento.
“Procuram um lugar bem localizado e que ofereça serviços. Não querem ter preocupação com empregados. Esses imóveis com conceito de serviço de lavanderia e limpeza, por exemplo, tendem a crescer”.
De acordo com Senra, esses clientes devem ser bastante observados pelos profissionais da área, pois até mesmo os idosos, com o advento da tecnologia e monitoramento das casas, podem ampliar seu tempo morando sozinhos.
Fonte: Zap Pro

Compartilhar