Telefone
São Paulo (11) 3191-5000
Ribeirão Preto (16) 3441-1189

A OMA na mídia

Pets em apartamento: ter ou não ter?

Segurança, praticidade ou simplesmente economia sãos aspectos que podem determinar a escolha do tipo de moradia. O que não muda na preferência de quem ama bichos de estimação é o desejo de tê-los sempre por perto. Muitos empreendimentos já estão sendo negociados com espaços especialmente idealizados para esse perfil de morador, afinal, até a ciência já comprovou os benefícios na saúde de quem não abre mão do seu amigo animal.
Mas, é possível equilibrar a equação “amor por pets x boa convivência em apartamentos”? Para ajudá-lo nesse desafio, preparamos algumas dicas práticas, confira:

Convenção do condomínio

A primeira dica para quem vai se mudar para um apartamento e pretende levar seu animal de estimação ou, adquirir um companheirinho, é ficar atento às normas estabelecidas pela convenção do condomínio. Dessa forma, você já se antecipa sobre todas as determinações e pode evitar desgastes. No caso de alguma divergência de opinião, o diálogo ainda é a melhor opção.

Adestramento

É inevitável considerar as questões referentes à segurança dos outros moradores e perturbação da ordem. Obviamente, nem sempre os animais terão um comportamento considerado “exemplar”. Nesse caso, o adestramento pode ser uma boa opção para pets agitados e com muita energia, já que as técnicas não são apenas para os animais, mas também para os donos, em relação a percepção do comportamento e boa conduta.

Higiene

Ter um pet em apartamento não significa abrir mão da higiene. Com o espaço reduzido, se torna ainda mais importante determinar um lugar para que seu animalzinho possa fazer suas necessidades diárias. Ter esse espaço bem demarcado também ajuda na manutenção da limpeza, afinal, assim você pode concentrar seus esforços na limpeza desse espaço.

Alimentação adequada

Não deixe de buscar orientação especializada para uma boa alimentação de seu pet. Além dos exercícios, a nutrição balanceada estimula uma boa saúde e evita outros transtornos. Nesse caso, se você se ausenta, tenha o cuidado de planejar com antecedência como será a manutenção dos locais onde ele se alimenta.

Dedique tempo a ele

Importante lembrar que seu animal está confinado a um espaço que, muitas vezes, não permite que ele gaste toda sua energia. Se este é o caso, reserve um tempo para os passeios diários e interação social. Lembre-se que seu animal também pode ficar estressado se não tiver uma rotina saudável. No caso dos felinos, considere brinquedos e espaços adaptados para seu conforto e segurança (uso de telas nas janelas é imprescindível). Carinho e atenção também são essenciais.

E depois de todas essas dicas, se você não tem e deseja ter um bichinho de estimação, que tal pensar na adoção? =)

 

Fonte: blog.netimoveis.com

Compartilhar