Telefone
São Paulo (11) 3191-5000

A OMA na mídia

7 tendências do mercado imobiliário para 2019!

A crise econômica que atingiu o Brasil nos últimos anos fez com que o mercado imobiliário crescesse menos do que o esperado, mas as projeções para 2019 são otimistas. Após anos menos positivos para o segmento de imóveis, 2018 foi um ano de consolidação e melhoras nas perspectivas de crescimento em 2019.

O crescimento do mercado imobiliário quer dizer que haverá um aumento na procura pela compra de imóveis, movimentando o setor e permitindo novos investimentos. Estar atento às principais tendências para o mercado imobiliário no próximo ano é importante para quem deseja aproveitar as melhores oportunidades para comprar ou vender imóveis.

Neste post mostraremos as 7 principais tendências do mercado imobiliário e as novidades que estão por vir em 2019. Tem interesse no tema? Siga conosco e fique por dentro do assunto!

1. AUMENTO NAS VENDAS DEVIDO AOS JUROS E INFLAÇÃO

A recuperação do mercado de imóveis ainda em 2018 se deu em grande parte pela oferta de crédito mais barato, tanto para quem desejava construir quanto para quem buscava adquirir um apartamento. Além disso, houve mudança na taxa de juros Selic, que foi reduzida para 6,5% — em outros anos chegou a 14% —, a Caixa Econômica Federal também reduziu os juros dos financiamentos e a inflação foi mais bem controlada em 2,5% ao ano, com tendência de crescimento do PIB.

E esse cenário deverá ser mantido para 2019. A expectativa é que a taxa de juros baixa e a inflação sob controle permitam o crescimento do mercado imobiliário a partir de 2019. Outro ponto importante é a disposição dos bancos para aprovar financiamentos devido à maior oferta de crédito. Por isso, quem oferecer melhores condições de pagamento e financiamento tende a conquistar mais clientes.

2. MUDANÇA NA ESTRUTURA DOS IMÓVEIS

Quando as expectativas dos consumidores mudam, o mercado imobiliário também precisa se adaptar. Atualmente as pessoas buscam mais espaços de integração e convivência, mesmo que a tendência seja de imóveis menores devido ao aumento no preço do metro quadrado nas cidades. O Norte do Brasil ainda apresenta diferencial nesse sentido, pois foi a região que apresentou menor taxa em comparação com o resto do país.

Devido à tendência de interação, as construtoras estão adaptando suas estruturas de imóveis residenciais, criando salas mais integradas e relativamente mais amplas. O mesmo ocorre nos edifícios comerciais, já que estão sendo criados maiores espaços colaborativos para as equipes trabalharem de forma conjunta.

3. COMPRA DE IMÓVEIS EM CONJUNTO

Imagine que várias pessoas estão interessadas em comprar imóveis com as mesmas características. Agora, pense se elas se juntassem para fazer essa aquisição em um mesmo condomínio. Apesar de ser uma prática pouco falada, em 2019 será mais comum, e as pessoas se juntarão como em uma cooperativa para adquirir diversas unidades de uma só vez.

A vantagem é que o preço de cada imóvel sairá mais em conta, com descontos que podem chegar a 25% do valor final do imóvel. Saem ganhando os compradores, mas também os proprietários, que conseguem vender diversas unidades de uma só vez.

4. IMÓVEIS MAIS COMPLETOS

Quando as famílias se preocupam em conviver mais tempo também desejam imóveis mais completos, ou seja, que permitam mais qualidade de vida. Como a população tem buscado morar mais perto de onde trabalha para fugir das muitas horas de engarrafamento — como ocorre em Belém e nas cidades do Norte do país —, há uma tendência de crescimento de prédios comerciais em áreas até então residenciais.

Outro fato é que os condomínios tendem a ser cada vez mais completos, permitindo diversão sem sair de casa. São quadras, piscinas, salão de jogos, espaço gourmet, cinema, academia e várias outras atrações que permitem aliar praticidade e também segurança.

5. NOVOS MEIOS DE DIVULGAÇÃO

Nos últimos anos o mercado imobiliário foi se adaptando às novas tecnologias e a um mundo cada vez mais digital. Está superada a fase de anúncios de imóveis em jornais e a tendência é a necessidade de integração de mídias para divulgar casas e apartamentos para comercialização.

Assim, as imobiliárias devem se atualizar quanto a aplicativos para celular, sites cada vez mais modernos e interativos. Depois de passarmos pela era dos computadores, as pessoas estão focadas em celulares e tablets. Por isso, o mercado imobiliário deve se preparar.

Criar plataformas para os clientes e trazer em poucos cliques informações sobre o imóvel como localização, tamanho, estrutura e preço é caminho a ser percorrido. Assim, imobiliárias serão mais virtuais do que presenciais.

Nessa tendência até mesmo o atendimento é virtual. Disponibilizar corretores de imóveis para tirar dúvidas online e de forma imediata durante o acesso reduzirá o tempo de busca por imóveis e desburocratizará as relações entre os interessados.

Já existem plataformas que oferecem simulações de crédito imobiliário e aceitam o envio de documentos online para acelerar o processo de compra e venda.

6. NOVO FORMATO DE VISITAS

Visitar imóveis durante a busca pelo espaço ideal é muito comum. Mas, com o desenvolvimento das tecnologias, já é possível fazer visitas virtuais, com projetos 3D e óculos virtuais para tour 360 graus. Esse tour permitirá inclusive conhecer um imóvel que ainda nem foi construído, incentivando os clientes na planta.

Claro que em 2019 essa não será uma realidade em todos os meios, mas é uma tendência do mercado e que deverá ser uma novidade entre as empresas do ramo para atrair clientes.

Essa experiência pode reduzir o tempo de procura pelo imóvel, já que é possível conhecê-lo sem a necessidade de deslocamento, assim como reduz custos com transporte, entre outros.

7. MODERNIZAÇÃO E SUSTENTABILIDADE

Se todos os aspectos da vida moderna estão se atualizando do ponto de vista da tecnologia, é claro que ela precisa chegar aos imóveis. Quem está ligado às novidades saberá que as inovações são diferenciais no mercado imobiliário. Aliar modernidade e sustentabilidade é tendência que chegará com maior força em 2019.

Casas e apartamentos com segurança e respeito ao meio ambiente serão comuns. Alguns exemplos são os controles de iluminação, que permitem aos moradores estabelecer qual a intensidade das luzes na casa — permitindo também a economia de energia — além de prédios prontos para utilizar luz solar e reaproveitar água captada das chuvas.

Apesar da crise econômica vista no Brasil nos últimos anos, o mercado imobiliário se mostra promissor para 2019. Espera-se um aumento das vendas devido à oferta de crédito e taxas de juros mais controladas, assim como imóveis mais modernos. Outro aspecto é o surgimento de inovações nos imóveis e nas formas de divulgação e contato entre clientes e imobiliárias.

 

Fonte: VIASUL Engenharia

Compartilhar