Telefone
São Paulo (11) 3191-5000

A OMA na mídia

Cobrança de aluguel: 6 dicas para cobrar sem perder a boa relação

Quando o imóvel é alugado, o contrato assinado apresenta inúmeros direitos e deveres para todos. Uma das principais obrigações do inquilino é efetuar o pagamento da locação no dia acordado. Quando isso não acontece, a imobiliária que administra o imóvel tem o direito de fazer a cobrança de aluguel.

A situação não é agradável, mas, felizmente, existem dicas que podem ajudar você a cobrar a dívida de forma gentil. Vamos lá?

1. Envie notificações de atraso

Sempre é válido manter o contato com o inquilino, enviando dicas e informações relevantes. Se isso já é realizado, vai ser muito mais fácil aproveitar o mesmo canal de comunicação, seja ele o WhatsApp ou o e-mail, para avisar sobre o atraso no pagamento.

Tenha cuidado para que a mensagem não tenha um tom de ameaça: seja amigável e deixe claro que quer entender o que está acontecendo para resolver a situação da melhor forma possível. Além disso, faça a notificação em um canal de contato que o inquilino permitiu, para não ser invasivo.

Escolha bem as palavras

O tom e a linguagem usada para escrever a notificação de atraso fazem toda a diferença. Dívida, por exemplo, é uma palavra que pode assustar e deixar as pessoas apreensivas e envergonhadas — o que dificulta o diálogo. Prefira dizer “o pagamento do aluguel vencido no dia 5/05 ainda não caiu” ou “existe um valor em débito no nosso sistema referente ao aluguel”.

Termine a mensagem se colocando à disposição para entender o que está acontecendo e encontrar uma solução viável para todos. Afinal, entrar em um acordo amigável é muito mais interessante do que iniciar um processo judicial.

Faça ligações

Se as mensagens não surtirem efeito, o contato telefônico pode ser aproveitado para tentar uma conversa mais próxima com o cliente, pois muitas pessoas se sentem mais à vontade em falar pelo telefone.

Se for necessário, a ligação pode terminar com um convite para um encontro presencial — onde as pessoas costumam ser ainda mais sinceras.

2. Atente-se ao horário da cobrança

A chance da conversa não ser amigável e da cobrança ser considerada abusiva são bem maiores se a imobiliária não se atentar ao horário. Não é indicado entrar em contato durante os horários de lazer ou descanso do consumidor. Para que sejam mais convenientes, as notificações de atraso devem ser enviados em dias úteis, durante o horário comercial.

3. Tenha um histórico de pagamento dos clientes

Existem inúmeros motivos que podem fazer um inquilino atrasar o aluguel. Em muitos casos, a inadimplência é um caso isolado e isso faz toda a diferença para desenvolver a estratégia de negociação.

Ao acessar o histórico de pagamento dos clientes, fica fácil identificar quem são os inquilinos que sempre deixam de cumprir o acordo e aqueles que estão em atraso, mas sempre pagam suas dívidas. Um sistema de gestão é a maneira mais prática e segura de criar e gerenciar essas informações.

4. Cobre a multa prescrita no contrato

Como você sabe, o contrato de locação é um documento essencial para garantir a segurança de ambas as partes. Entre outras definições, ele garante o direito de pagamento de multa e juros, caso o valor do aluguel não seja pago em dia.

É comum que essa cláusula seja negociada — principalmente se o atraso é de poucos dias ou se o cliente tem um bom histórico de pagamento. Entretanto, é importante não tornar os descontos um hábito, para que não gere prejuízos financeiros ao locador.

5. Saiba quando entrar com ação de despejo

Caso as tentativas de entrar em acordo com o inquilino não sejam positivas, acione o setor jurídico da imobiliária para iniciar a cobrança judicial. Se, mesmo após a notificação judicial, o inquilino não efetuar o pagamento, será necessário solicitar a desocupação do imóvel.

Apesar de, segundo a Lei do Inquilinato, ação de despejo poder ser iniciada a partir do primeiro dia de atraso do pagamento do aluguel, essa não é uma prática correta no sentido ético. Por ser uma medida drástica, o despejo só deve acontecer quando forem cessadas todas as outras medidas possíveis para o recebimento da dívida.

6. Previna a inadimplência

O primeiro passo para não ter problemas com o pagamento é fazer uma análise cadastral criteriosa. Apesar de não garantir, verificar o histórico de pagamento e dívidas pode evitar que muitos “inadimplentes de carteirinha” se tornem clientes da sua imobiliária.

Além disso, veja o que mais pode ser feito para estimular o pagamento dos aluguéis em dia.

Otimize o sistema de cobrança

Alguns clientes podem argumentar que não realizaram o pagamento porque não receberam o boleto e se esqueceram de cobrar o envio. Uma boa maneira de evitar essa situação desagradável é aproveitar um sistema de gestão imobiliária para emitir e enviar os boletos automaticamente.

Descomplique o acesso à segunda via

Em algumas empresas, é um verdadeiro desafio conseguir a segunda via para efetuar o pagamento em atraso. Mas, como a vida anda cada vez mais corrida e ninguém quer perder tempo nas filas do banco, é importante descomplicar o acesso à segunda via.

Isso pode ser feito por meio da atualização do boleto em uma área do cliente no site da imobiliária ou de maneira automatizada — o cliente pode receber um e-mail ou SMS com a segunda via para pagamento.

Verifique a melhor data para pagamento

Mudanças no dia do pagamento do salário do inquilino podem resultar em problemas no orçamento que o impedem de conseguir efetuar o pagamento do aluguel em dia. Se o atraso é recorrente, vale a pena checar se o problema pode ser resolvido com a alteração oficial do prazo para o pagamento da locação.

O primeiro passo é sempre um diálogo amigável com o inquilino inadimplente. Tenha empatia e busque alternativas para que a situação seja resolvida de forma amistosa — o que faz bem para o relacionamento com o cliente e reduz os custos da operação. No entanto, se a cobrança de aluguel amigável não resolver, a justiça pode e deve ser acionada.

Fonte: blog.movingimoveis.com.br

Compartilhar