Telefone
São Paulo (11) 3191-5000

A Coleta no Condomínio: passo a passo para implantar a coleta seletiva

A Coleta no Condomínio

Passo a passo para implantar a coleta seletiva

A coleta seletiva de lixo é a maior aliada da reciclagem. Tudo começa com a separação dos materiais recicláveis onde o lixo é gerado, ou seja, nas próprias residências. Após a separação, os materiais são coletados. Cada morador ou funcionário do condomínio tem que ser orientado quanto a importância da correta separação do lixo.

Dica: Promova uma assembleia ou reunião com os condôminos para discutir o projeto de coleta seletiva no condomínio e formar uma comissão de interessados em colaborar com o programa.

Elaboramos um passo a passo, dividido em quatro etapas (preparação, treinamento, comunicação e manutenção), para que a implantação da coleta seletiva no seu condomínio tenha sucesso.

O primeiro passo para implantar a coleta seletiva é quantificar o lixo gerado e o que é necessário no condomínio para que uma empresa ou mesmo um comitê interno possa desenvolver todas as compras e ações posteriores do programa de reciclagem do seu condomínio.

Etapa 01: Preparação

Descubra a demanda existente do condomínio, os equipamentos e fornecedores necessários

Etapa 01.1: Pesquisa

Identifique o lixo gerado no seu condomínio:

– Conheça o número de pessoas entre moradores e funcionários que colaborarão com o programa;
– Quantifique o lixo gerado no condomínio: quantos sacos de lixo de 100 litros são gerados por dia;
– Confira a rota do lixo: das unidades ao local onde é acumulado para a coleta;
– Identifique se moradores já coletam materiais e para onde os encaminham.

Identifique a infra-estrutura existente:

– Instalações: levantamento dos locais disponíveis para armazenamento temporário dos materiais separados até a coleta, locais intermediários para – condôminos depositarem o lixo diariamente;
– Materiais: coletores, latões, tambores e outros containers que possam ser adequados;
– Mão de obra: qual a equipe que faz a limpeza e coleta do lixo comum;
– Serviço: rotina de como é feita a limpeza e a coleta (frequência e horários);
– Recursos: existe disponibilidade de recurso financeiro para a implantação do projeto (compra de lixeiras, obras, manutenções, taxa de coleta, etc).

Dica! Para mapear melhor a coleta no seu condomínio, utilize o formulário de pesquisa nos materiais de apoio.

Etapa 01.2: Definição da Equipe

É importante que todos os moradores saibam da intenção de implantar o programa e que se organize um grupo para participar de todas as etapas do projeto: elaborar, implantar e dar continuidade ao projeto. Para obter melhor resultado, divida essa comissão interna por responsabilidades, com divisão de tarefas, evitando que uma pessoa fique sobrecarregada.

Esta comissão ficará responsável pela implantação do projeto, treinamento dos funcionários, comunicação com os moradores, supervisão da manutenção, etc.

Dica! O envolvimento de crianças na equipe de implantação tem mostrado excelentes resultados na participação das unidades na coleta (p.ex.: síndico mirim e comissões infantis).

Etapa 01.3: Materiais coletados

Defina os tipos de materiais recicláveis que serão coletados. Não é necessária a separação dos principais materiais recicláveis, bastando um único recipiente para papel, vidro, metal e plástico. Além desses, outros materiais podem ser reciclados como óleo de cozinha, equipamentos eletrônicos, pilhas e baterias, etc.

Confira uma lista desses materiais no próximo capítulo ’Lixo Reciclável’.

Etapa 01.4: Separação dos materiais

Com todos os dados obtidos até esse ponto (quantidade gerada de lixo por tipo de material, possibilidades de estocagem no local, os recursos humanos existentes, etc.), está na hora de começar a planejar como será todo o esquema.

Defina como os materiais serão retirados das unidades. Se cada condômino deve levar seu lixo para um local específico (no andar, térreo ou garagem) ou se haverá coleta interna, com um funcionário passando em cada unidade e andar em um determinado horário. Para garantir maior participação na coleta, o mais indicado é que essa retirada seja feita da mesma maneira que já é feita com o lixo comum.

Etapa 01.5: Contratação da empresa coletora

O encaminhamento dos materiais recolhidos pela coleta seletiva para a indústria da reciclagem ou para outras formas de reaproveitamento é o objetivo final e mais importante do processo: caso contrário, todo o esforço não terá adiantado nada, pois os materiais continuarão poluindo o meio ambiente.

Contate uma coletora e informe-se sobre os dias e horários que será realizada a coleta. Caso os materiais venham a ser entregues para catadores informais, é importante garantir a frequência e também que recolham todo o material evitando sobras nos depósitos.

Confira nossas sugestões no capítulo ‘Fornecedores‘.

Etapa 01.6: Preparação da Infraestrutura e Compra dos Equipamentos

O espaço de armazenagem deve ser amplo o suficiente para juntar todo o material produzido durante o intervalo entre as visitas da empresa coletora. É importante que não haja infiltrações e água empoçada.

Se possível, armazenar o lixo comum e o reciclado em depósitos diferentes.

Importante! Perigo de incêndio: não acumular muito material reciclável, pois papel e plástico são altamente combustíveis. Não os deixe próximos a instalações elétricas.

Normalmente, em pequenos condomínios, uma lixeira grande para lixo inorgânico (reciclável) em um local estratégico no térreo ou garagem é suficiente para alocar o material até a coleta. Em grandes condomínios, use os dados coletados na pesquisa para descobrir o volume de lixo reciclável gerado para mensurar a quantidade e tamanho das lixeiras, bem como definir a periodicidade da retirada pela coletora.

Se o seu condomínio tiver espaço suficiente, providencie também uma lixeira para cada andar, de acordo com o seu serviço de limpeza.

Importante! Ao providenciar equipamentos, lembre-se de que nada pode obstruir a rota de fuga do condomínio.

Dica! Aparelho para amassar latinhas de alumínio: elas ocupam muito volume; este aparelho reduz o problema.
Dica! Lixeiras com rodas podem substituir uma lixeira e um carrinho de mão.

Após concluída toda a etapa de infra-estrutura, é preciso que todos os funcionários do condomínio saibam de todos os passos da coleta para colocá-la em prática.

Etapa 02: Treinamento

Crie a rotina de trabalho dos envolvidos

Os procedimentos nessa etapa são fundamentais e muito simples; é preciso apenas conscientizar todos os funcionários do condomínio (faxineiros, folguistas, zelador, etc) de algumas medidas fundamentais.

Importante!Equipamentos de proteção individual (EPI) como luvas e botas para os funcionários que fazem o serviço de limpeza, transporte e/ou separação do lixo interno são fundamentais!
Os materiais recicláveis são os que mais podem causar ferimentos, principalmente no caso de vidros e latas.

Etapa 02.1: Orientação

  • Conhecer a infra-estrutura instalada, a função e localização de cada container;
  • Entender toda a “rota do lixo” dentro do condomínio, em especial as partes do processo em que sua participação é fundamental. Por exemplo a retirada do lixo dos apartamentos, caso seja realizada;
  • Nunca colocar o lixo reciclável junto com o lixo comum;
  • Saber o horário e local corretos para disponibilizar o lixo reciclável para retirada;
  • Conhecer todos os materiais que serão coletados e qual o sistema: se a coleta separada por tipo de material (papel, plástico, metais, vidro), não misturar os materiais no armazenamento;
  • Saber todos os tipos de materiais que o seu condomínio reciclará além de lixo.

Etapa 02.2: Atualização

De tempos em tempos é importante relembrar os funcionários de todo o procedimento. Assim a manutenção da coleta seletiva será mais efetiva.

Atenção! Não esqueça de repassar o treinamento para cada funcionário novo que entrar no condomínio.

Etapa 02.3: Acompanhamento

De tempos em tempos é importante relembrar os funcionários de todo o procedimento. Assim a manutenção da coleta seletiva será mais efetiva.

Atenção! Não esqueça de repassar o treinamento para cada funcionário novo que entrar no condomínio.

Agora, a comissão deve divulgar a ideia, incentivar e esclarecer o projeto dentro do seu condomínio, que é um passo fundamental para o sucesso da iniciativa.

Etapa 03: Comunicação

Faça com que todos os condôminos saibam do programa de coleta seletiva

A divulgação, incentivo e esclarecimento do projeto devem ser feitos através de materiais impressos como cartazes e folhetos, mas também por meio de encontros pessoais como reuniões ou bate-papos com moradores e profissionais das unidades. Aproveite uma eventual assembleia de condomínio para fazer uma introdução do programa, como um marco inicial.

É fundamental que todos os moradores e funcionários saibam que há coleta seletiva, e que percebam como é simples. Dentro da sua ‘comissão de reciclagem’, eleja um representante no condomínio para cuidar do assunto e manter a comunicação viva. A principal mensagem a ser passada aos condôminos e funcionários é:
É muito fácil colaborar! Basta separar seu lixo em dois: recicláveis (papéis, vidros, metais e plásticos) e orgânicos (alimentos, papéis sanitários, etc.) e depositá-los na lixeira indicada.

Etapa 03.1: Educação Ambiental

Esta parte é fundamental para o programa dar certo: integra todas as atividades de informação, sensibilização e mobilização de todos os envolvidos.

  • Liste os diferentes públicos envolvidos: funcionários do condomínio, funcionários das unidades, moradores (jovens, crianças, adultos) e determine que tipo de informação cada um deve receber;
  • Planeje atividades para que cada público atinja com mais sucesso o objetivo. Entre as atividades usadas, sugerimos: palestras, reuniões, gincanas, mutirões, etc. Realizar uma variedade grande de atividades sempre é melhor, pois atinge mais pessoas;
  • O material visual deve informar sobre a importância da coleta de lixo e suas vantagens, como o lixo deverá ser separado e onde será armazenado: folhetos, guias, cartazes nos elevadores, murais e locais de armazenamento, e-mails informativos, etc.
  • Além do material básico, você pode criar um boletim sobre o andamento do programa e novas informações sobre reciclagem. É uma boa forma de manter o assunto vivo!

Dica! Use os cartazes que a OMA disponibiliza para divulgação para as áreas comuns em ‘Materiais‘.

Etapa 03.2: Funcionários das Unidades

A participação dos funcionários das unidades (faxineiras, empregadas domésticas, diaristas, etc) é ainda mais importante.

A maior parte do lixo se origina na cozinha ou banheiros, e são esses profissionais que geralmente cuidam do descarte. Por isso, é interessante agendar uma reunião com as empregadas para uma explicação simples e objetiva sobre os procedimentos internos.

Etapa 03.3: Palestras

Existem profissionais que realizam palestras e treinamentos para condomínios; podendo até dar consultoria em todo os processo de implantação de coleta seletiva.

Confira algumas empresas na lista de contatos do capítulo ‘Fornecedores‘.

 

O trabalho da comissão não termina com a implantação da coleta seletiva. Cuidar da manutenção do programa é fundamental. Uma vez iniciado o processo, ajustes sempre serão necessários, o importante é sempre manter seu controle.

Etapa 04: Manutenção

Mantenha a rotina para que o programa gere cada vez mais resultados

Divida os trabalhos para garantir a realização das tarefas e contatos.

O grupo responsável, ou um grupo ampliado para essa fase, deverá verificar a necessidade e providências para:

  • Reposição e trocas de materiais;
  • Atualização das placas, cartazes, folhetos, etc.;
  • Treinamento de novos funcionários e atualização periódica com os efetivos.

Etapa 04.1: Acompanhamento

Confira periodicamente se cada etapa do sistema está funcionando corretamente. Desde a saída do lixo das unidades, passando pelo armazenamento, e por fim a coleta pela empresa contratada (periodicidade, atendimento, limpeza, etc.).

Etapa 04.2: Dados

Faça um levantamento com a equipe de limpeza sobre a quantidade de material reciclável coletado.
Isso será útil para conferir a eficácia da comunicação e também para ajustes na periodicidade da coleta.

Confira também se ainda há muito lixo reciclável descartado no lixo comum.

Dica! Utilize os dados comparativos entre o lixo reciclável e lixo descartável para mostrar o progresso e envolvimento do condomínio com o programa.

Etapa 04.3: Comunicação

Mantenha um sistema de informação e sensibilização atualizado, com um boletim interno ou cartazes.

Eventos também tem bom resultado para mobilizar os condôminos, faça palestras, reuniões ou gincanas para incentivar e integrar todos os moradores.

Etapa 04.4: Resultados

Mantenha um sistema de informação e sensibilização atualizado, com um boletim interno ou cartazes.

Eventos também tem bom resultado para mobilizar os condôminos, faça palestras, reuniões ou gincanas para incentivar e integrar todos os moradores.